álcool 1

Álcool X Antibióticos

Você sabia que a ingestão de álcool pode interferir no efeito dos antibióticos, dificultando o tratamento? Nesse texto, explicamos essa relação e falamos sobre as bebidas sem álcool.

1.1. Metabolismo hepático em relação ao álcool e a antibióticos

O fígado, segundo maior órgão do corpo humano, pesa cerca de 1,5 kg e desempenha funções muito importantes para o funcionamento do organismo. Ele é o responsável pela metabolização do álcool ingerido, convertendo essa substância tóxica em um produto menos nocivo, graças à ação de enzimas que ajudam nesse processo. Pequenas quantidades de etanol acabam sendo eliminadas pelo rim, suor e pelo pulmão. Contudo, quantidades excessivas de álcool podem levar a esteatose hepática alcoólica, ou seja, a formação de placas gordurosas no fígado (SILVA, 2017).

Além disso, no fígado também acontece a maior parte do metabolismo de medicamentos. A capacidade do fígado em processar esses remédios depende da quantidade de fármaco que entra nas células desse órgão. O processo realizado no fígado que torna mais fácil a excreção do remédio é chamado de biotransformação, e essas mudanças se devem à ação de enzimas hepáticas que possuem a capacidade de mudar quimicamente uma gama das moléculas desses remédios, tornando-as inativas. Inativar o fármaco é importante, pois ele não pode entrar no sangue sem ser metabolizado diretamente pelas células do fígado. Dessa forma, o fígado desempenha importante papel na metabolização tanto do álcool quanto dos fármacos, como os antibióticos (BRUM et al., 2018).

1.2. Interação do álcool com antibióticos, quais são os efeitos?

À medida que o consumo de bebidas alcoólicas aumenta, a interação destas com medicamentos traz maiores consequências à saúde humana. Um dos riscos mais comuns é a diminuição do efeito do medicamento. Muitos indivíduos ingerem bebida alcoólica durante o tratamento medicamentoso, e, infelizmente, não sabem das consequências desse comportamento para o organismo humano (SILVA, 2017).

O etanol tem capacidade de alterar o metabolismo de muitos medicamentos, incluindo a classe dos antibióticos, e isso faz com que as concentrações desses fármacos no corpo sejam afetadas, podendo prejudicar a eficácia de certas substâncias, aumentando seus efeitos colaterais. Além disso, podemos dizer que tanto o álcool quanto o antibiótico são metabolizados no fígado e, caso haja o consumo de ambos, o fígado pode ficar sobrecarregado, prejudicando o funcionamento do órgão, e consequentemente, do organismo de forma geral (SILVA, 2017).

1.3. Nossos produtos

Nós, do Empório Sem Álcool, estamos sempre buscando uma melhor qualidade de vida para os nossos clientes, proporcionando uma vida mais saudável. Nossos produtos podem ser consumidos juntamente com o uso de antibióticos, por não possuírem álcool e não interferirem no tratamento. Temos uma variedade de bebidas, como vinhos, cervejas, espumantes e outras bebidas sem álcool, seguindo a legislação.

Estamos abertos para conversar e tirar dúvidas! Quer mais informações sobre nossos produtos? Entre em contato por aqui 

Referências:

  1. SILVA, L. V. S. A interação do álcool com medicamentos e seus efeitos no organismo. Faculdade de educação e meio ambiente, 2017. Disponível em < http://repositorio.faema.edu.br/bitstream/123456789/1255/1/SILVA,%2 0S. V. L. – A INTERAÇÃO DO ÁL COOL COM MEDICAMENTOS E SEUS EFEITOS NO O RGANISM O.pdf> Acesso em: 11/08/2021.
  2. BRUM, Lucimar Filot da Silva et al. Farmacologia Básica. São Paulo: Sagah Educação S.A., 2018. 349 p. ISBN 978-85-9502-527-1

Artigos indicados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.