Dislipidemias 1

Álcool X Dislipidemias

Entenda, com esse texto, a relação entre o consumo de álcool e o desenvolvimento de dislipidemias, além da interação dessa substância com medicamentos.

Primeiramente, o que são Dislipidemias?

Dislipidemias são doenças relacionadas a anormalidades dos níveis lipídicos do sangue, como quantidades excessivas de colesterol, triglicerídeos e ainda diminuição dos níveis de HDL-colesterol.

Tipos e causas de Dislipidemias

Atualmente, sabe-se que há dois principais tipos de dislipidemias, que são diferenciadas de acordo com os fatores causadores da doença.

O primeiro tipo é a dislipidemia primária, que tem origem genética (repassada de geração para geração), mas pode ser agravada por fatores relacionados ao estilo de vida, como o sedentarismo, tabagismo, etilismo (consumo excessivo de álcool) e maus hábitos alimentares (SBC, 2001).

A dislipidemia secundária é associada a uma série de doenças crônicas, como diabetes, obesidade, problemas cardiovasculares e hipotireoidismo, que em muitos casos também são induzidas por fatores que englobam o estilo de vida. Possui, também, relação com o consumo de fármacos, como diuréticos, medicamentos para tratamento de acne, anticoncepcionais e terapia hormonal (SBC, 2001).

Interação do álcool com os remédios para dislipidemias

A classe de medicamentos mais comum para tratamento de dislipidemias são as estatinas. O consumo excessivo de álcool por indivíduos que utilizam estatinas, pode aumentar o risco para miopatia. Ou seja, é prudente que os portadores de dislipidemias que fazem uso de medicamentos evitem o consumo de álcool, para preservar a saúde cardiovascular (WIEL, 2012).

O álcool e os triglicerídeos pós-prandiais e de jejum

O abuso de álcool pode levar a uma hipertrigliceridemia no pós-prandial (após as refeições) e em jejum. Além disso, quando o álcool é acompanhado por uma refeição que contém altas quantidades de gordura, especialmente gordura saturada, pode ocorrer aumento significativo de triglicérides pós-prandiais (GEREMIAS e SOARES, 2013).

Em determinados casos, o excesso de álcool pode ser o principal causador de altos níveis de triglicerídeos. Esse quadro pode gerar, a longo prazo, grandes impactos à saúde, como a pancreatite, comum em pacientes que possuem síndrome metabólica. Fora isso, esses aumentos dos triglicerídeos pós-prandiais e em jejum tendem a causar implicações para possíveis distúrbios cardiovasculares, quando constantes (RAMKUMAR, 2016).

Substituir as bebidas alcoólicas por bebidas sem álcool, em festas e comemorações, é uma boa alternativa para redução de riscos, principalmente para aqueles que possuem histórico familiar de dislipidemias ou já são portadores da doença. Isso porque o álcool é um dos principais fatores relacionados ao desenvolvimento de dislipidemias e aos problemas causados por interação com medicamentos. Após ter lido esse texto, que tal explorar o nosso site e ver os nossos produtos sem álcool? Clique aqui e confira!

Referências

1. Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC). III Diretrizes Brasileiras sobre Dislipidemia e Diretriz de Prevenção de Aterosclerose do Departamento de Aterosclerose da SBC. Arq Bras Cardiol 2001;77(supl III):1-48.

2. GEREMIAS, R.; SOARES, M. T. A INFLUÊNCIA DO CONSUMO DE ÁLCOOL SOBRE O PERFIL LIPÊMICO. Infarma – Ciências Farmacêuticas, [S.l.], v. 19, n. 9/10, p. 3-11, mar. 2013. ISSN 2318-9312. Disponível em: <http://www.revistas.cff.org.br/?

3. WIEL, A. V. de. The effect of alcohol on postprandial and fasting triglycerides. Int J Vasc Med. 2012. doi:10.1155/2012/862504

4. RAMKUMAR S., RAGHUNATH A., RAGHUNATH S. Statin Therapy: Review of Safety and Potential Side Effects. Acta Cardiol Sin. Clayton, v. 32, n. 6, p. 631-639, 2016

Artigos indicados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.