Empório Sem Álcool: A Maior Variedade de Bebidas Sem Álcool

Blog


  • Por que o diabético deve evitar consumir álcool: entenda os motivos

    Tags: diabetes e bebidas alcoólicas
  • 8.01.2020

Pessoas diabéticas têm que fazer uma dieta mais equilibrada, principalmente quando falamos do consumo de açúcar. Com isso, surgem algumas recomendações quanto aos alimentos que podem ser ingeridos, quais devem ser consumidos de forma moderada e quais precisam ser evitados de qualquer forma.

E aí uma grande dúvida surge: quem tem diabetes pode beber álcool?

Neste artigo, vamos abordar bem esse assunto, mostrando a relação entre álcool e glicose, quais são as melhores recomendações e como contornar o problema. Continue conosco para saber mais!

A relação entre álcool e glicose

Entre as várias tarefas que o fígado executa no nosso corpo, está o controle sobre os níveis de açúcar que ficam no sangue. Grosso modo, se o seu organismo dá sinais de queda desse açúcar, o órgão libera parte de suas reservas desse elemento na corrente sanguínea. Então, podemos dizer que ele ajuda a aumentar a glicose.

Quando ingerimos álcool, esse processo fica um pouco prejudicado, já que o fígado também é responsável por processar as bebidas que consumimos. Em média, levamos cerca de 2 horas para absorver na digestão um drink por completo.

Isso significa que se bebermos uma quantidade maior que essa dentro desse intervalo de tempo, vamos começar a apresentar alterações comuns de bebidas alcóolicas: tontura, euforia, perda do equilíbrio e da coordenação motora, prejuízos na fala e, em quantidades grandes, pode-se chegar até mesmo ao coma alcóolico.

Então, o que acontece na relação entre álcool e glicose?

Se você beber mais que um drink a cada duas horas, o seu fígado ficará “ocupado” tentando processar o álcool e, com isso, não consegue regular a quantidade de açúcar no sangue da forma adequada, causando a queda desses níveis.

Porém, também existe o outro lado da história. Em geral, as bebidas alcóolicas são bem calóricas e têm bastante carboidrato que depois de metabolizado se transforma em açúcar. Então, o consumo também pode trazer o efeito de aumentar a concentração dele no sangue — elevando a glicose.

Com isso, pode-se concluir que o consumo de álcool tende a afetar negativamente os níveis de glicose no organismo (seja para cima ou para baixo). Portanto, se você gosta de ingerir essas bebidas, precisa tomar bastante cuidado com as quantidades que são colocadas em seu organismo.

Mito ou verdade: o álcool pode causar hipoglicemia

Se você faz a aplicação de insulina ou toma algum medicamento que eleva a quantidade dela no sangue, sabe que ela ajuda a equilibrar os níveis de açúcar no organismo, impedindo que a glicose fique muito alta.

Porém, como dissemos, ao beber o fígado fica ocupado tentando eliminar o álcool e não regula os níveis de açúcar adequadamente. Quando eles estão baixos, o resultado disso é a hipoglicemia.

O que fazer para evitar a hipoglicemia e os efeitos que ela causa?

É preciso ter muito cuidado nesse momento, visto que os sintomas da hipoglicemia são bem parecidos com o da embriaguez e podem causar confusão quanto o que está acontecendo de fato. Entre os principais sinais que a queda de glicemia no sangue causa, podemos citar:

•             Tonturas;

•             Fome;

•             Confusão mental;

•             Formigamento nos lábios;

•             Visão embaçada;

•             Fala arrastada.

Viu só, como os sinais são bem parecidos? Então, corre-se o risco de você achar que está sob o efeito do álcool, quando, na verdade está com hipoglicemia. De imediato, o que se pode fazer para evitá-la é consumir alimentos que contêm açúcar (como balas e doces). Porém, a recomendação é a de que sejam feitas refeições com mais frequência (evitando a hipoglicemia por jejum).

Porém, quando se trata do consumo de álcool, as coisas são um pouco diferentes. De acordo com a Sociedade Americana de Diabetes, as quantidades ideais de bebida são de no máximo 1 drink (para mulheres) e 2 drinks (para homens) por dia. Sendo assim, o primeiro passo — e o mais importante — é não ultrapassar esse limite.

Se, ainda assim, você optar por beber, seguem algumas dicas que vão ajudar a diminuir os riscos de se passar muito mal:

•             Evite comer com o estômago vazio;

•             Não fuja muito das quantidades recomendadas;

•             Coma alimentos ricos em carboidratos e açúcares.

Atenção para as dosagens de açúcar nas bebidas

Você pode estar se perguntando agora: será que posso beber pelo menos um pouco durante as festas? A resposta é: depende... Antes de tudo, você precisa se consultar com o seu médico, avaliar o nível de controle do seu diabetes e questionar se o consumo está liberado (de forma moderada, é claro).

Caso a resposta seja positiva, não deixe de prestar atenção nas dosagens de açúcar nas bebidas. Como via de regra, o diabético precisa evitar o consumo de alimentos que têm esse ingrediente, o ideal é apostar em vinhos sem álcool (secos ou meio secos), que têm uma baixa concentração de açúcar. Os rosés, espumantes e vinhos suaves, por outro lado, são mais doces e podem ser deixados de lado.

Diabéticos podem beber cerveja e vinho

Caso você queira consumir bebidas alcóolicas, uma excelente alternativa é contar com as versões sem álcool. Dessa forma, não sobrecarrega o fígado e diminui os riscos de ter grandes variações nos níveis de glicose no açúcar.

Entretanto, vale lembrar que a moderação é lei e precisa ser respeitada. Constar no rótulo que a bebida é sem álcool não significa que ela seja 0%, visto que, por lei, ela pode ter um limite máximo de 0,5% em volume alcóolico.

Se quiser conhecer mais sobre os benefícios do vinho sem álcool para sua saúde recomendamos a leitura deste artigo que publicamos aqui no nosso Blog.

Em outras palavras, provavelmente você estará consumindo álcool da mesma forma, ainda que em quantidades consideravelmente menores.

O ideal é que pessoas diabéticas se abstenham do consumo de bebidas alcóolicas, visando evitar maiores complicações na saúde. Porém, se ainda assim você quiser degustar, dê preferência para as versões sem álcool e não se esqueça que tudo deve ser feito com bastante equilíbrio. Então, nada de excessos, ok? Coloque a sua saúde sempre em primeiro lugar.

Gostou deste artigo? Suas dúvidas sobre o assunto foram respondidas? Compartilhe o conteúdo em suas redes sociais e deixe que seu círculo de amigos também tenha conhecimento sobre a relação entre diabetes e álcool. Aproveite também para trocar algumas experiências e opiniões sobre o tema!

 

...

RECEBA OFERTAS

Fale Conosco pelo WhatsApp
Visual e-commerce