Empório Sem Álcool: A Maior Variedade de Bebidas Sem Álcool

Blog


  • Vinho e comida: Regras básicas para acertar na harmonização

    Tags: vinhos e harmonização
  • 31.01.2020

Quando você pensa no seu vinho preferido, qual prato que melhor combina com ele e com a ocasião?

Se você não se sentiu confiante para responder, não tem problema. Essa é uma dúvida comum até para quem já tem mais experiência no universo dos vinhos, incluindo as versões sem álcool da bebida, que seguem os mesmos preceitos – principalmente vinhos e espumantes sem álcool que mantêm as mesmas propriedades, sabores e aromas.

“O álcool não influencia muito. O que define é a intensidade. Vinho forte pede um prato mais forte, e os leves pedem alimentos mais leves, além das semelhanças e contrastes”, destaca André Berti, chefe de cozinha, proprietário do Jazz Restaurante, especialista em bebidas sem álcool como drinks, cervejas e vinhos.

Seguindo essas regrinhas básicas você verá que não tem muita complexidade – afinal o que vai determinar será seus gostos e preferências.

Mas é importante mencionar que a harmonização ideal de vinhos, para surpreender seus convidados, está longe de ser feita sem critérios, de forma aleatória. A ideia é sempre buscar a melhor experiência no paladar com essa dupla perfeita.

Então confira essas dicas e boa degustação!

 

Harmonização simplificada de vinhos com comida

Começar pelo básico é sempre uma maneira mais eficiente. Essas diretrizes podem te ajudar a compreender melhor.

 

1- Espumantes e frisantes

São vinhos geralmente leves e por isso casam bem com entradas, saladas, petiscos. Os espumantes menos secos, mais adocicados, harmonizam bem também com algumas frutas e sobremesas com chocolate.

 

2 -  Doces e fortificados

Esses tipos de vinhos harmonizam com queijos azuis (mais fortes) como Roquefort e Gorgonzola, pelo efeito de contraste. Vinhos doces e fortificados também são os queridinhos para acompanhar as sobremesas.

 

3 - Brancos e rosés

Também classificados como leves, harmonizam com saladas, aves, peixes e frutos do mar, além de massas (molho branco), e queijos moles.

 

4 -  Vinhos tintos

Os vinhos tintos são conhecidos como bebidas mais potentes e intensas, apesar de apresentarem versões mais leves. Os tintos combinam, por exemplo, com carnes vermelhas, massas com molho vermelho, queijos duros.

Essas regras, como falamos, são básicas. Existem outros fatores que influenciam diretamente no casamento perfeito de vinhos com comidas. Cada prato tem uma característica distinta (com mais ou menos gordura e condimento, por exemplo), assim como os vinhos em suas estruturas e sabores, principalmente as versões desalcoolizadas.

Mas com o básico em mente, agora podemos seguir alguns critérios mais específicos em busca da melhor harmonização de vinhos.

Vamos lá?

 

Entradas e aperitivos

Para uma ocasião de entrada (aperitivo), geralmente as pessoas preferem pequenas porções como tábuas de frios, porções de queijo, embutidos, patês, castanhas, amendoins, entre outros. A dica é selecionar os vinhos leves como espumantes, vinho branco, especialmente o Sauvignon Blanc.

 

Carnes vermelhas e brancas

Quando se trata das refeições principais como carnes, assados e massas, podemos combinar os pratos com algumas variedades de vinhos usando o critério de maior ou menor intensidade no paladar.

Carnes brancas normalmente pedem vinhos brancos, como os rótulos produzidos com a uva Moscatel (também conhecida como Moscato). Tintos suaves e médios também são uma boa pedida.

Já as carnes vermelhas combinam melhor com vinhos encorpados, como os tintos produzidos pela uva Syrah.

 

Peixes e frutos do mar

No geral os frutos do mar crus, ou quando elaborados de forma simples (cozidos e pouco condimentados), pedem vinhos brancos leves como os Sauvignon Blanc.

Já peixes grelhados, camarão, sushis e ceviches combinam melhor com brancos mais encorpados.

Massas e risotos

Essa harmonização pode ser bem variada. Depende, principalmente, da intensidade dos molhos, condimentos e ingredientes que acompanham os pratos.

O famoso risoto com camarão, por exemplo, vai bem com vinho branco. Se o risoto conter algum elemento mais ácido (limão ou tomate, por exemplo), também casa legal com espumantes.

Se massa estiver sem acompanhamento de carne, por exemplo, a dica é servi-la com tinto leve e suaves. Já se conter carnes é melhor escolher um tinto mais intenso como Syrah.

Sobremesas

Essa regrinha geralmente é bem conhecida. As sobremesas ficam ainda mais deliciosas quando acompanhadas de vinhos doces, como os brancos da uva Moscato.

Vinhos e frutas?

Sim, é possível harmonizar perfeitamente vinhos com porções de frutas. A orientação é basicamente a mesma. Por exemplo,  pensando na combinação por contraste, a doçura e o sabor frutado do vinho pode ser reforçado no paladar com frutas ácidas como laranja, o abacaxi e morango, ricas em vitamina C.

Sauvignon Blanc

Leve e com maior nível de acidez, pelas notas cítricas (aroma de frutas tropicais), casa legal com maçãs-verdes, cerejas-negras, peras, pêssegos, coco fresco e tomates.

 

Syrah

Geralmente possui intenso aroma de romã juntamente com groselha, e toques de baunilha. Depois de desalcoolizado, mantém os taninos macios, limpo e com boa acidez. Harmoniza com mirtilos maduros, groselha, cassis.

Espumantes, como os da uva Moscato, também acompanham muito bem frutas, além de fondues doces, chocolates, panetones, e outros tipos de pratos doces.

Conclusão

Agora que você já conhece os principais segredos para a melhor harmonização de vinhos com comida, o que acha de começar a experimentar em casa, com os amigos e familiares, e testar as combinações que mais agradam o seu paladar e a preferência dos convidados?

O Empório Sem Álcool oferece uma variedade de vinhos e espumantes desalcoolizados que mantêm os aromas e sabores para acompanhar suas refeições.

 

>>WHATSAPP >> FALE AGORA COM NOSSOS ESPECIALISTAS EM VINHOS SEM ÁLCOOL!

 

 

 

...

RECEBA OFERTAS

Fale Conosco pelo WhatsApp
Visual e-commerce